Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 3.094.501 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 A LIBERDADE... A ARTE... A VERDADE... A VONTADE... “Não

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Participação
6055
Segunda-feira, 28 de maio de 2018 - 09:29:12
189.123.109.20

A LIBERDADE... A ARTE... A VERDADE... A VONTADE... “Não existem doenças. Existem doentes. Alfabeto, Jogo, Música, Números e DEUS”. (3ª parte). 

 

 

É PRECISO SABER VIVER – 3º ATO. 

 

Na presente série de textos A LIBERDADE corresponde ao número 1. A ARTE homenageia o número 2. A VERDADE representa o número 3. E, A VONTADE significa o famoso número 4. 

Comecei a prática da AUTO-HEMOTERAPIA em 21 de agosto de 2007. Na época eu freqüentava o Sindicato dos Médicos do Estado de Sergipe (SINDIMED), devido ao fato de que o então presidente ser filho do município de Riachuelo, cidade na qual eu trabalhei durante quatro anos aproximadamente. Mas, nunca fui sindicalizado. Eu ia lá almoçar nos dias de terça-feira e pagava meu almoço. 

 

Se nunca fui sindicalizado, naturalmente nunca ocupei nenhum cargo na direção. Os temas abordados na maioria das reuniões eram sobre condições SALARIAIS e sobre condições de TRABALHO. Alguns deles choravam com a barriga cheia. A maioria nem tanto. Porém, sobre a AUTO-HEMOTERAPIA ninguém falava. 

A maioria dos integrantes da direção do SINDIMED eram funcionários públicos, mas, a maioria deles tinha seu consultório particular, ou, em muitos casos, também trabalhavam em clínicas ou hospitais particulares. 

Um belo dia - (nas minhas “estórias” sempre existe um belo dia) -, fui desafiado pelo presidente riachuelense (natural de Riachuelo) a escrever alguma coisa sobre medicina. Aceitei o desafio. 

Parece-me que o artigo que escrevi foi “Medicina – Alegrias e tristezas”. Propus-me a escrever o artigo, desde que no texto não aparecesse a palavra tristeza, exceto no título. Escrevi, e, no texto não aparece o vocábulo tristeza. O artigo foi publicado no Jornal da Cidade de Aracaju e encontra-se disponível na INTERNET. O artigo faz parte do meu arquivo pessoal. 

Meu interesse, no entanto era escrever algo ou alguma coisa sobre a AUTO-HEMOTERAPIA. 

Naquela época apareceu aqui em Aracaju um cidadão que “operava milagres” e deu muito que falar. Ele comprovadamente não era médico. Nunca fui assistir nenhuma de suas “operações”. Portanto, era um charlatão. 

Pensei com os meus botões. Se um charlatão consegue fazer tanto barulho assim, vou começar a fazer barulho também. 

Só que o tema tabu AUTO-HEMOTERAPIA, tinha como autor um cidadão que era comprovadamente um médico do Rio de Janeiro, com longa e larga experiência no campo da medicina e adepto das chamadas terapias alternativas e/ou terapias complementares. 

No caso o médico Dr. LUIZ MOURA, formado na antiga Faculdade Nacional de Medicina, que funcionava na cidade do Rio de Janeiro, na década de 40 do século passado. 

Colecionei uma série de reportagens de vários jornais locais, sobre o cidadão, – um falso médico -, que estava fazendo tanto sucesso em Aracaju, contei parte de suas estripulias, e, acrescentei no final do título a palavra AUTO-HEMOTERAPIA. O artigo também foi publicado no Jornal da Cidade de Aracaju e encontra-se disponível também na INTERNET. O artigo também faz parte do meu arquivo pessoal. 

Parece-me que os dois artigos foram publicados em 2008. 

Continuava freqüentando o SINDIMED e ninguém falava nada. As dezenas de médicos que freqüentavam o ambiente continuavam surdos, mudos e cegos. 

Inclusive o presidente do sindicato, que era médico, filho de Riachuelo, e sabia que eu tinha trabalhado no Hospital de Riachuelo, a cidade natal dele. Ele poderia até alegar que eu era um maluco, mas, não podia negar que eu era formado em medicina, e, portanto, que eu era médico. 

Ao mesmo tempo eu me aprofundava no estudo da AUTO-HEMOTERAPIA, da ENERGIA ORGÔNICA, do CLORETO de MAGNÉSIO e do ASCARIDIL, quadro procedimentos terapêuticos preconizados pelo médico Dr. LUIZ MOURA. Às vezes usados separadamente, às vezes usados conjuntamente. 

Das quatro terapias alternativas e/ou complementares, fiz uso de três: - AUTO-HEMOTERAPIA, CLORETO DE MAGNÉSIO e ASCARIDIL. Nunca fiz uso da ENERGIA ORGÔNICA por uma questão de ordem financeira. 

A AUTO-HEMOTERAPIA eu faço continuadamente ao longo de quase 11 anos. O CLORETO de MAGNÉSIO às vezes suspendia o seu uso tendo em vista a qualidade do produto. 

Enquanto no CLORETO de MAGNÉSIO existe o risco de você usar um produto de má qualidade, existe também o risco de ele ser falsificado ou conter impurezas. 

Na história das bilionárias INDÚSTRIAS FARMACÊUTICAS existem numerosos exemplos de erros de pesquisas ou até mesmo de fraudes intencionais. Relembrando o caso da criminosa TALIDOMIDA. 

Isto não significa dizer que todo fármaco alopático seja inútil. Longe disto. Um exemplo incontestável disso são os anestésicos, sem os quais, ninguém poderá ser submetido às pequenas, médias e grandes cirurgias. 

Já o uso do seu próprio SANGUE é absolutamente impossível de ser adulterado. A AUTO-HEMOTERAPIA além de ser absolutamente inofensiva também é absolutamente impossível de ser falsificada. 

Além do DVD do Dr. LUIZ MOURA, encontrei outros LIVROS falando do uso da AUTO-HEMOTERAPIA em seres humanos e em outros animais (medicina veterinária). Depois de muito refletir pensei em qual seria o título do meu próximo artigo. 

A RELIGIÃO é muito mais antiga do que os vários ramos da CIÊNCIA. Ao longo de milênios a RELIGIÃO foi se diversificando. E, ao longo de séculos, as CIÊNCIAS também foram se diversificando. Pensei, pensei e pensei... Decidi! 

“AUTO-HEMOTERAPIA: CIÊNCIA ou RELIGIÃO?” Coloquei a AUTO-HEMOTERAPIA no meio de um tiroteio entre os CIENTISTAS e os RELIGIOSOS ou TEÓLOGOS. 

O objetivo era chamar a atenção de um grupo ou do outro. Ou dos dois grupos. Com este título escrevi quatro ou cinco artigos. Os artigos também foram publicados no Jornal da Cidade de Aracaju. Eles estão devidamente arquivados e também estão disponíveis na INTERNET. 

Embora a medicina seja uma CIÊNCIA que deve lutar para salvar VIDAS, os CIENTISTAS não deram um pio favorável à prática da AUTO-HEMOTERAPIA. A “Suprema Corte da Saúde” – CFM – através de uma Resolução Debilóide proibiu a prática da AUTO-HEMOTERAPIA no Brasil, e, proibiu as pesquisas sobre a tal TERAPIA COMPLEMENTAR. Ver o que aconteceu com o Secretário de Saúde de OLINDA – PE na época. 

Embora todas as RELIGIÕES defendam o DIREITO de NASCER, - elas são contra o ABORTO –, elas também defendem o DIREITO à VIDA. No entanto elas não nos ensinam que tipo de VIDA devemos levar, do ponto de vista fisiológico e médico. Medicina e Fisiologia são com os médicos dizem eles. 

Os RELIGIOSOS e os TEÓLOGOS também não deram um pio sobre a AUTO-HEMOTERAPIA. Caramba! 

Precisava inventar um título diferente. Pensei, bipensei e tripensei... Aí surgiu: 

“AUTO-HEMOTERAPIA, Dr. Fleming e os antibióticos”... 

A mensagem queria dizer o seguinte: - Em 1º lugar surgiu a AUTO-HEMOTERAPIA (século XIX ou século XX). Em 2º lugar tinha aparecido Dr. Alexander Fleming e a descoberta da penicilina (século XX). Em 3º lugar surgiram os outros antibióticos (século XX e século XXI). 

Escrevi e publiquei aproximadamente uma centena de artigos com este título, que foram divulgados no Jornal da Cidade de Aracaju também. Todos estão muito bem arquivados e também estão disponíveis na INTERNET. O problema é que os artigos passavam até dois meses para serem publicados. Eu tinha pressa. Na verdade eu tinha muita pressa. A pressa é inimiga da perfeição! Não interessa. As imperfeições serão corrigidas depois... 

As pesquisas CIENTÍFICAS voltadas para a área da MEDICINA e da SAÚDE devem ter em mira, aliviar dores, atenuar sofrimentos, curar enfermidades e também salvar VIDAS. 

Já as dezenas de RELIGIÕES, através da FÉ, têm em mira mais ou menos os mesmos objetivos. No entanto, as RELIGIÕES, ou seja, os TEÓLOGOS defendem com muito fervor o DIREITO de NASCER. Por exemplo: - A maioria dos RELIGIOSOS é contra o ABORTO, como já dissemos anteriormente. 

A maioria dos CIENTISTAS, principalmente os ligados às chamadas CIÊNCIAS MÉDICAS, têm opiniões diferentes sobre o ABORTO. A maioria é contra o ABORTO. A minoria é a favor do ABORTO. É ou era? O assunto é muito controverso nos dias atuais, principalmente devido ao fortalecimento do chamado Movimento Feminista. Elas acham que o corpo é delas, e, portanto, são elas quem decide o que fazer com seu próprio corpo. E, o que é curioso, eu acho que elas têm razão. Como o assunto é ainda polêmico, escreverei mais adiante sobre o tema. 

Voltando à inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA. Depois de publicados mais de cem artigos com o título “AUTO-HEMOTERAPIA, Dr. Fleming e os antibióticos”..., a chamada “Comunidade Científica” e a chamada “Comunidade Religiosa”, permanecem completamente cegas, mudas e surdas. 

Quando eu começar a escrever sobre o ABORTO, as duas comunidades deverão ficar caladinhas. Nem um pio. 

Mas, sobre o ABORTO deverá haver algumas reações. Todas serão refutadas incontestavelmente. Será um teste para saber até que ponto DEUS me deu o DOM da palavra e da argumentação. 

Sobre a AUTO-HEMOTERAPIA, a minha VIDA pertence a mim, e, a VIDA deles pertence a eles. 

O slogan “AUTO-HEMOTERAPIA, Dr. Fleming e os antibióticos”..., não surtiu praticamente nenhum efeito. 

Os meus artigos eram completamente ignorados, principalmente pela chamada “Comunidade Econômica”, que é quem manda em tudo no Planeta Terra. Aqui incluso a suposta Comunidade Científica, a suposta Comunidade Religiosa, a suposta Comunidade Médica, a suposta Comunidade Política, a suposta Comunidade Midiática, etc., etc. e etc. 

Pensei, contrapensei, pensei de novo, contrapensei novamente... Então vou alterar o título. Mas qual? Tinha que ser algo que todo muito gosta, e, ao mesmo tempo, ninguém sabe exatamente o que é. Aí... 

A LIBERDADE... LIBERDADE, LIBERDADE abre as asas sobre nós. E o que é mesmo LIBERDADE? O primeiro artigo com a palavra LIBERDADE só surgiu no RECANTO das LETRAS em julho de 2016. Foram vários com a expressão A LIBERDADE... 

Na condição de “Um Eterno Aprendiz” comecei a conversar com os meus BEIJA-FLORES, com as FLORES, com os JARDINS, com a NATUREZA e finalmente com os NÚMEROS. E ainda hoje converso. 

Um belo dia, em tom de deboche, um BEIJA-FLOR disse: - De que adianta a LIBERDADE sem o CONHECIMENTO? Olhei para todos os lados e nada de localizar de onde vinha a voz. Todo mundo sabe que os BEIJA-FLORES são velozes. Repetia a frase várias vezes, e, logo desaparecia. Um dia parou subitamente e disse: - A LIBERDADE ajuda o CONHECIMENTO e o CONHECIMENTO ajuda a LIBERDADE. Logo depois voou rapidamente. Um BEIJA-FLOR falante e sábio? Não tive dúvidas... 

A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... Foi a segunda palavra acrescentada aos textos. Vários textos. Perdi as contas. 

Em outro belo dia fui num JARDIM repleto de FLORES e de BEIJA-FLORES. Uma FLOR estava conversando com o BEIJA-FLOR que tinha me falado da importância do CONHECIMENTO. 

Depois que o BEIJA-FLOR saiu a ROSA disse: - Eu leio os seus artigos. Eu adoro os seus artigos. Eu gosto também das ARTES. Mas, entre as diversas ARTES, eu sou fã mesmo é da MÚSICA. Seus artigos ficariam excelentes se falasse em ARTE. A ROSA começou a cantar. Fiquei embevecido. A FLOR cantou SETE MÚSICAS. Cada uma melhor do que a outra. Coloque ARTE em seus textos. Eles ficarão bem melhores. Se colocar ARTE eu avisarei a todos os BEIJA-FLORES e a todas as FLORES. O JARDIM disse sorridente: - A ROSA tem razão! Olhei pro JARDIM e disse: - Até você? Fazer o quê? Então... 

“A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... A ARTE”... 

Os BEIJA-FLORES ficaram mais alegres, as FLORES ficaram mais bonitas e o JARDIM ficou mais FLORIDO. 

Chegou um verão com um SOL inclemente incomodando meio mundo de gente, inclusive o meu JARDIM que começou a ficar doente. Tristeza! Falta de água. Sede. E agora o que faço perguntei aos BEIJA-FLORES, as FLORES e ao JARDIM. 

Eles responderam que eu precisava comprar água para os três. É preciso comprar água. E toda água tem um PREÇO. Quando custa? Quanto custará? Cada lugar tem um PREÇO diferente disseram os três. 

Na fonte azul é um PREÇO. Na fonte verde é outro PREÇO. No lago verde é outro PREÇO. No lago azul é outro PREÇO. Na cachoeira azul o PREÇO é diferente. Na cachoeira verde o PREÇO é melhor. No rio caudaloso o PREÇO é menor. Na nascente do rio o PREÇO é maior. Na foz do rio o PREÇO é mais em conta. Tudo o que eles sugeriam tinham um PREÇO. Cheguei a uma conclusão: - Se a água tem um PREÇO (embora diferentes), na VIDA tudo tem um PREÇO. Aí... 

“A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... A ARTE... O PREÇO”... 

Assim surgiu a quarta palavra, decorrente de um problema da Natureza. Paguei um PREÇO alto mais salvei o JARDIM, as FLORES e os BEIJA-FLORES. 

Só que o PREÇO da água ia subindo. Cada dia o PREÇO subia mais. Na oitava semana o PREÇO da água já estava nas alturas. 

- Resolvi conversar com a Natureza e pedi-lhe ajuda. 

- A Natureza olhou pro SOL. Baixou um ramo de ROSAS e olhou de novo para o SOL. Baixou um ramo de ORQUÍDEAS e olhou pro SOL novamente. A Natureza repetiu o gesto muitas vezes. Na verdade a Natureza estava conversando com o SOL, com a “FORÇA ESTRANHA”, ou seja, com DEUS. 

- A Natureza disse-me: - Não se preocupe. Amanhã irá chover. Dito e acontecido. No dia seguinte choveu a conta certa. E nos meses seguintes também. 

- A Natureza revelou-me um segredo. Está lembrado daquela ROSA que cantou SETE MÚSICAS? Respondi: - É claro que eu estou lembrado! 

- E eu acrescentei: - Agora, num dia ela CANTA sete músicas. No dia seguinte ela CANTA oito músicas. No outro dia CANTA mais setes músicas. No dia seguinte CANTA mais oito músicas. E assim sucessivamente. E dificilmente ela repete uma música. Como ela consegue fazer isso eu não sei. E mais. As outras FLORES estão imitando a ROSA cantora. E... 

- A Natureza cortou minha palavra: - Ela é muito amiga de um número. Quê número? A Natureza disse que não sabia. Só sei que eles conversam muito. Acho que ele também entende e gosta muito de MÚSICA e de NÚMEROS. Você precisa conversar com a ROSA e com o NÚMERO. De preferência com os dois juntos. Acho que você vai aprender muita coisa. Fiquei matutando? Como a Natureza é sábia, vou seguir o seu conselho! 

No dia seguinte fui procurar a ROSA cantora. Ela estava terminando de cantar a sétima música. Bom dia ROSA! Ela respondeu: - Bom dia escriba. 

- ROSA é verdade que você gosta de conversar com um NÚMERO? É verdade respondeu a ROSA. 

- Há muito TEMPO eu conheço um NÚMERO. E conversamos durante muito TEMPO. Para conquistar certas Amizades leva muito TEMPO. E onde ele está agora? Ele viajou hoje às QUATRO horas da manhã. 

- Ele viajou pra onde? O NÚMERO foi visitar SETE Rainhas em OITO Reinados diferentes. Ele disse que ia demorar algum TEMPO para voltar. Ele deixou comigo o RELÓGIO especial dele para eu contar o TEMPO de vez em quando. A ROSA apontou-me o RELÓGIO que pertencia ao misterioso NÚMERO. 

- Reconheci de imediato que era um RELÓGIO especial, para marcar o TEMPO de cada JOGADOR no JOGO dos REIS. Fiquei desconfiado. 

- ROSA qual o número de seu amigo? Ah! É segredo. Só posso dizer se ele autorizar. Deixe-o voltar. DÊ TEMPO ao TEMPO. Prefiro no momento falar de MÚSICA. 

- A propósito, como você aprendeu tanta música ROSA? Com o TEMPO. Demorei muito TEMPO. Tem uma que eu aprendi há pouco TEMPO. Quer ouvir? 

- Alguém aí do outro lado do muro iria se negar a ouvir uma música cantada por uma ROSA linda e cheirosa? E que voz maravilhosa! Eu já conhecia sua belíssima voz. Fiquei pensando um rápido TEMPO. Qual será a MÚSICA? 

 

 

 

 

 

 

 

 

VICTOR e LEO - Na LINHA do TEMPO. 

 

 

Compositores: - Marcelo Martins e Sérgio Porto. 

 

 

 

Eu te dei o ouro do SOL, a prata da LUA. 

Te dei as ESTRELAS pra desenhar o teu CÉU. 

Na LINHA do TEMPO, o destino escreveu. 

Com letras douradas. 

VOCÊ e EU. 

 

 

Há quanto TEMPO eu esperava. 

Encontrar alguém assim. 

Que se encaixasse bem nos planos. 

Que um dia fiz pra mim 

VOCÊ e EU. 

 

Vou dizer. 

Que nessas FRASES tem um pouco de NÓS DOIS. 

E não deixamos o AGORA pra DEPOIS. 

Quando te vejo eu me sinto tão completo. 

Por onde eu vou. 

E nesses traços vou tentando descrever. 

Que mil palavras é tão pouco pra dizer. 

Que o SENTIMENTO muda tudo, muda o MUNDO. 

Isso é o AMOR. 

 

 

 

Na LINHA do TEMPO, o destino escreveu. 

Com letras douradas. 

VOCÊ e EU. 

 

 

 

Há quanto TEMPO eu esperava. 

Encontrar alguém assim. 

Que se encaixasse bem nos planos. 

Que um dia fiz pra mim. 

VOCÊ e EU. 

 

 

 

Vou dizer. 

Que nessas FRASES tem um pouco de NÓS DOIS. 

E não deixamos o AGORA pra DEPOIS. 

Quando te vejo eu me sinto tão completo. 

Por onde eu vou. 

E nesses traços vou tentando descrever. 

Que mil palavras é tão pouco pra dizer. 

Que o SENTIMENTO muda tudo, muda o MUNDO. 

Isso é o AMOR. 

 

 

 

Que nessas FRASES tem um pouco de NÓS DOIS. 

E não deixamos o AGORA pra DEPOIS. 

Quando te vejo eu me sinto tão completo. 

Por onde eu vou. 

E nesses traços vou tentando descrever. 

Que mil palavras é tão pouco pra dizer. 

Que o SENTIMENTO muda tudo, muda o MUNDO. 

Isso é o AMOR. 

 

 

Isso é o AMOR. 

Isso é o AMOR. 

AMOR. 

 

 

 

Após ouvir a delicada, perfumada e linda ROSA cantar, olhei para o meu RELÓGIO de pulso para saber como estava o TEMPO. 

- A educada ROSA adiantou-se. Não precisa olhar o RELÓGIO! O TEMPO está bom Agora e Depois. 

- Mas, a MÚSICA demorou quanto TEMPO? Perguntou a ROSA. 

- Como não tinha contado o TEMPO fiquei embaraçado. 

- A ROSA disse: - Dê TEMPO ao TEMPO. Aliás, vamos dar mais TEMPO ao TEMPO. Vou cantar a MÚSICA mais SETE vezes. A gente aprende as coisas com o TEMPO. 

- Fiquei pensando: - A ROSA com um RELÓGIO pra Jogar Xadrez... Eu com um RELÓGIO de Pulso, esperando para conhecer um NÚMERO... E, na MÚSICA: - Agora, depois e TEMPO... 

Lá do CÉU ecoou uma voz clara e forte: - “O TEMPO é o SENHOR da RAZÃO”. Assim... 

 

 

 

“A LIBERDADE... O CONHECIMENTO... A ARTE... O PREÇO... O TEMPO”... 

 

 

Para passar o TEMPO fiquei jogando Xadrez com uma ROSA, ouvindo as outras FLORES cantarem MÚSICAS maravilhosas, numa PRAÇA no centro de ARACAJU, que tinha um belíssimo JARDIM. Tem coisa melhor no MUNDO? 

 

 

 

A luta contra a debilitante POLIOMIELITE (paralisia infantil) continua, e a luta a favor da inofensiva AUTO-HEMOTERAPIA, também continua. 

Se DEUS nos permitir voltaremos outro dia ou a qualquer momento. Boa leitura, boa saúde, pensamentos positivos e BOM DIA. 

ARACAJU, capital do Estado de SERGIPE, localizado no BRASIL, Ex-PAÍS dos fumantes de CIGARROS e futuro “PAÍS dos MACONHEIROS”. Domingo, 27 de maio de 2018. 

 

 

 

 

 

Jorge Martins Cardoso – Médico – CREMESE – 573. 

 

 

 

 

Fontes: (1) – INTERNET. (2) – Uma ROSA. (3) – Os BEIJA-FLORES. (4) – Um JARDIM. (5) - Uma PRAÇA. (6) - SETE RAINHAS. (7) - Um RELÓGIO de XADREZ. (8) - Um RELÓGIO de PULSO. (9) - Uma MÚSICA. (10) Um NÚMERO misterioso. 

 

 

 

(Fim do 3º ATO). 

 

https://www.recantodasletras.com.br/artigos-de-saude/6348049 

Fetha    

[ocultar participação]  [voltar]

Comentários


Quero comentar Total de 1 comentários  -  1 nesta página
[primeira < anterior   Página de 1     próxima >  [última]

Domingo, 16 de dezembro de 2018 - 05:25:05
 

Nenhum comentário ainda.

 

Webmaster



envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a lista que contém esta participação]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2018)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org