Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 3.726.523 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 AUTO-HEMOTERAPIA  E  TÉCNICAS  DELA DERIVADAS  QUE 

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Participação
6154
Quarta-feira, 15 de julho de 2020 - 16:16:45
187.72.114.91

AUTO-HEMOTERAPIA  E  TÉCNICAS  DELA DERIVADAS  QUE   

EMPREGAM  O  SANGUE  PARA  CURAR  DOENÇAS 

 

Ozonioterapia, auto isoterápico de sangue (homeopatia), Plasma Rico em Plaquetas e Tampão Sanguíneo Peridural, estão entre estas técnicas  

 

A auto-hemoterapia é uma técnica centenária de prevenção e cura de doenças. O dr. Luiz Moura, o principal divulgador da técnica no mundo, a define deste modo: 

"É uma técnica simples, em que, mediante a retirada de sangue da veia e a aplicação no músculo, ela estimula um aumento dos macrófagos, que são, vamos dizer, a Comlurb (Companhia de Limpeza Urbana) do organismo".  

 

O médico explica: "Os macrófagos é que fazem a limpeza de tudo. Eliminam as bactérias, os vírus, as células cancerosas, que se chamam neoplásicas. Fazem uma limpeza total, eliminam inclusive a fibrina, que é o sangue coagulado. Ocorre esse aumento de produção de macrófagos pela medula óssea porque o sangue no músculo funciona como um corpo estranho a ser rejeitado pelo Sistema Retículo Endotelial (SRE). Enquanto houver sangue no músculo o Sistema Retículo Endotelial está sendo ativado. E só termina essa ativação máxima ao fim de cinco dias. 

 

A taxa normal de macrófagos é de 5% (cinco por cento) no sangue e, com a auto-hemoterapia, nós elevamos esta taxa para 22% (vinte e dois por cento) durante 5 (cinco)dias. Do 5º (quinto) ao 7º (sétimo) dia, começa a declinar, porque o sangue está terminando no músculo. E quando termina ela volta aos 5% (cinco por cento). Daí a razão da técnica determinar que a auto-hemoterapia deva ser repetida de 7 (sete) em 7 (sete) dias.  

 

Essa é a razão de como funciona a auto-hemoterapia. É um método de custo baixíssimo, basta uma seringa. Pode ser feito em qualquer lugar porque não depende nem de geladeira –simplesmente porque o sangue é tirado no momento em que é aplicado no paciente, não há trabalho nenhum com esse sangue. Não há nenhuma técnica aplicada nesse sangue, apenas uma pessoa que saiba puncionar uma veia e saiba dar uma injeção no músculo, com higiene e uma seringa, para fazer a retirada do sangue e aplicação no músculo, mais nada. E resulta num estímulo imunológico poderosíssimo. ...". 

 

Walter Medeiros cita em um de seus textos que "O método foi aplicado com bons resultados por Dr. Luiz Moura, desde o tempo em que era estudante de medicina, em 1943, na Faculdade Nacional de Medicina, situada na Praia Vermelha, Rio de Janeiro. Seu pai, cirurgião geral, foi professor daquela faculdade e aplicava a auto-hemoterapia nas pessoas que operava. Dr. Moura afirma que nunca houve problema nenhum e que seu pai teve com o procedimento uma das taxas menores de infecção hospitalar já vista até hoje. Para tanto baseavam-se no trabalho do professor Jesse Teixeira – que foi feito especificamente para evitar infecções pós-operatórias e que obteve um sucesso enorme. 

 

Dr. Moura afirma que foi o professor Jésse Teixeira que provou que o (Sistema Retículo-Endotelial) S.R.E. era ativado pela auto-hemoterapia, em seu trabalho “Complicações Pulmonares Pós-Operatórias – Autohemotransfusão” (http://www.rnsites.com.br/artigo_jesse_teixeira.pdf) premiado e publicado em 1940 na Revista Brasil – Cirúrgico, no mês de Março.  

 

Jésse Teixeira provocou a formação de uma bolha na coxa de pacientes, com cantárida, substância irritante. Fez a contagem dos macrófagos antes da auto-hemoterapia, a cifra foi de 5%. Após a auto-hemoterapia a cifra subiu a partir da 1ª hora, chegando após 8 horas a 22%. Manteve-se em 22% durante 5dias, e finalmente declinou para 5% no 7º dia após a aplicação.  

 

Por sua vez, Ricardo Veronesi, em 1976 apresentou trabalho “Imunoterapia: O impacto médico do século” (http://www.medicinabiomolecular.com.br/biblioteca/pdfs/Biomolecular/mb-0212.pdf) explicando as ações do estímulo do S.R.E comprovado por Jésse Teixeira. Desde os anos setenta o dr. Luiz Moura voltou a utilizar a auto-hemoterapia e muitos outros estudos surgiram a respeito do assunto, conforme observam alguns pesquisadores. Atualmente, o uso da técnica ocorre em muitos países, além do Brasil, principalmente na França, Alemanha, Portugal, México, Rússia, Argentina, Estados Unidos, Bélgica, Itália, Suíça, Angola, Cabo Verde, Austrália, Bulgária, Japão e Reino Unido.". Conheça mais sobre a auto-hemoterapia em  

http://www.hemoterapia.org/aht_hemoterapia_conversa-com-o-dr-luiz-moura.asp 

 

Veja também o DVD subdividido em 60 temas. 

http://www.hemoterapia.org/aht_hemoterapia_conversa-com-o-dr-luiz-moura-em-60-temas.asp 

 

Leia ainda "Breve Histórico da Auto-Hemoterapia", série produzida por Walter Medeiros, no endereço https://hssuffer.wordpress.com/2015/08/15/breve-historico-da-auto-hemoterapia-por-walter-medeiros/ A auto-hemoterapia tem sido empregada por times inteiros de futebol, como em Guarapari, no Espírito Santo, nas décadas de 70 e 80. E por jogadores de seleções, como Beckenbauer, alemão, (citado pelo dr. Luiz Moura), e Zidane, francês. 

 

TÉCNICAS DERIVADAS DA AUTO-HEMOTERAPIA 

 

São várias as técnicas derivadas da auto-hemoterapia na sua forma divulgada pelo dr. Luiz Moura. Entre estas, a ozonioterapia, por onde vamos começar a listagem destas técnicas em uso. 

 

OZONIOTERAPIA 

 

Segundo a Associação Brasileira de Ozonioterapia (ABOZ), estudos com altíssimo rigor científico (https://www.aboz.org.br/ozonize-se/ozonioterapia-indicacoes/) comprovam que o ozônio medicinal combate diversas doenças inflamatórias, infecciosas e isquêmicas, prolongando a qualidade de vida de pacientes. 

 

E indica as doenças que podem ser tratadas com a ozonioterapia.  

Vários tipos de câncer, ajudando a combater tumores e reduzindo os efeitos colaterais da Radioterapia e da Quimioterapia. 

Diversos problemas circulatórios. 

Doenças virais, como hepatite e herpes. 

Feridas de origem vascular, arterial ou venosas, úlceras diabéticas e por insuficiência arterial. 

Queimaduras de diversos tipos. 

Hérnias de disco, protrusão discal e dores lombares. 

Dores articulares decorrentes de inflamações crônicas. 

Colites e outras inflamações intestinais crônicas. 

Condições e doenças de idosos. 

Imunoativação geral. 

 

Reconhecida pelo Sistema de Saúde de nações mundo afora, a Ozonioterapia é praticada há várias décadas nos 5 continentes. Seus benefícios comprovados são tantos que, na Alemanha, este procedimento médico faz parte dos tratamentos pagos pelos seguros-saúde do governo. 

 

A ABOZ anuncia que a ozonioterapia será pesquisada em regime ambulatorial para a Covid-19. O anúncio foi feito em 08/07/2020. 

 

"OZONIOTERAPIA EM REGIME AMBULATORIAL PARA COVID-19: ABOZ FAZ PRIMEIRA PESQUISANO BRASIL 

 

Comunicamos com muita satisfação que foi aprovado o segundo trabalho brasileiro de Ozonioterapia no COVID 19 em pacientes ambulatoriais, no CEP/CONEP, escrito pela ABOZ. Lembrando que o primeiro trabalho foi para pacientes internados e já está sendo feito por três hospitais um no Rio de Janeiro, um em Campina Grandee um Cascavel. ...". E mais: ".. O objetivo da pesquisa são: Avaliar com o uso da ozonioterapia como tratamento adjuvante, a taxa de recuperação dos pacientes em regime ambulatorial, comCOVID-19 e a taxa de evolução para o não agravamento. 

 

A referida pesquisa tem grande importância já que além de ser a primeira no país em Ozonioterapia para essa patologia, o ozonio tem se revelado de alta eficácia como terapia complementar no tratamento de doenças virais como a Influenza Aviária, SARS, MERS com evolução para doença grave, de disseminação rápida e pandêmica. Fundamental ressaltar as principais propriedades da Ozonioterapia como a redução da hipóxia a nível celular e molecular; a ativação do metabolismo ; a melhoria da reológico sanguínea; a estimulação do sistema de defesa antioxidante e ação imunomoduladora capaz de suprimir a citotoxidade auto reativa celular, desta forma mostrando-se como uma terapêutica útil para modular a cascata de citoquinas pró-inflamatórias. 

 

Assim, o estudo se justifica principalmente em função da possibilidade futura de contribuição para a melhora, tanto na prevenção, como no tratamento das angústias respiratórias, dados os mecanismos do ozônio e a gravidade da COVID-19. De acordo com o presidente da Aboz, o médico Arnoldo de Souza, diante da grave crise sanitária pela qual passa o mundo e, tendo conhecimento das qualidades terapêuticas da Ozonioterapia, a Aboz não poderia se abster de participar de forma propositiva e pioneira. 

 

https://www.aboz.org.br/noticias/ozonioterapia-em-regime-ambulatorial-para-covid-19-aboz-faz-primeira-pesquisa-no-brasil/141/ 

 

Entrevista Dr. Lair Ribeiro - Benefícios do Ozônio 

 

https://www.youtube.com/watch?v=5dmIpjWWVSc 

 

Principais vias de aplicação da ozonioterapia:  

 

Autohemoterapia Maior 

Autohemoterapia Menor 

Aplicação Subcutânea 

Insuflação Retal 

Insuflação Vaginal 

 

Famosos que fizeram ou fazem: Pelé e Pepeu Gomes. https://jorgemartinscardoso.prosaeverso.net/visualizar.php?idt=5764550 

 

 

PLASMA RICO EM PLAQUETAS ( PRP) 

 

"O plasma rico em plaquetas (PRP) é um produto biológico produzido a partir de um processo de centrifugação de sangue autólogo, permitindo a extração de um plasma com uma concentração de três a cinco vezes maior de plaquetas em relação à sua quantidade sem sangue basal. Muitas pesquisas realizadas em diversas áreas da Medicina, especialmente em odontologia, ortopedia e cirurgia reconstrutiva, sugeridas por quais produtos potencializam o processo de cicatrização tecidual no local local ou mesmo aplicado, por meio da liberação de mediadores biológicos denominados fatores de crescimento. ...". Plasma rico em plaquetas: mecanismo de ação, produção e indicações de uso - Revisão de literatura em https://www.researchgate.net/publication/325640450_Plasma_rico_em_plaquetas_mecanismo_de_acao_producao_e_indicacoes_de_uso_-_Revisao_de_literatura 

 

Efetividade do plasma rico em plaquetas no tratamento da dor em osteoartrite de joelho: estudo comparativo randômico e duplo-cego  

https://www.scielo.br/scielo.php?pid=S0034-70942019000500439&script=sci_arttext&tlng=pt 

Publicado em: 14/04/2016 

 

Análises Clínicas Pesquisa estuda o Plasma Rico em Plaquetas, aliado na medicina regenerativa 

https://www.labnetwork.com.br/noticias/pesquisa-estuda-o-plasma-rico-em-plaquetas-aliado-na-medicina-regenerativa/  

 

Quem faz ou fez? O então presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), a mais alta instância do Poder Judiciário do Brasil, ministro Joaquim Barbosa, Ronaldinho fenômeno, ex-jogador, e os atores Tarcisio Meira e esposa (atores), e Cláudia Raia.  

 

HOMEOPATIA  

 

Auto-hemoterapia na Homeopatia.  

Licínio Cardoso (RJ)  

 

Em 1923 cria a isopatia sanguínea ou auto-hemoterapia 

Pode-se estudar o tema em  

"Nosódios" 

 

file:///C:/Users/ARENA13/Downloads/34.pdf 

 

"MEDICINA método terapêutico que consiste em prescrever a um doente, sob uma forma diluída e em pequeníssimas doses, uma substância que, em doses elevadas, é capaz de produzir num indivíduo sadio sinais e sintomas semelhantes aos da doença que se pretende combater [Este método foi criado, no fim do sXVIII, pelo médico alemão Samuel Hahnemann 1755-1843.]. ...".  

 

Homeopatia Origem: Wikipédia, a enciclopédia livre. 

https://pt.wikipedia.org/wiki/Homeopatia  

 

E, 

 

Autor:Paulo, Ana Lucia Dias; Amorim, Valeria Ota.Título:Auto-isoterápico de sangue: preparação e uso clínico / Blood auto-isotherapy: preparation and clinical use Fonte: Rev. homeopatia (Säo Paulo);74(3,n.esp):3-3, 2011.Idioma:pt. 

 

Resumo: Justificativa: A isoterapia é um método terapêutico que consiste na administração ao doente da substância que provocou os sintomas mórbidos. Quando o fator causal é o próprio indivíduo, o chamamos de autoisoterápico. É uma forma terapêutica utilizada há muitos anos, com resultados de sucesso, porém, muito pouco sistematizada, dificultando o acesso dos homeopatas a sua aplicação na clínica....". 

http://bases.bireme.br/cgi-bin/wxislind.exe/iah/online/?IsisScript=iah/iah.xis&src=google&base=LILACS&lang=p&nextAction=lnk&exprSearch=620753&indexSearch=ID 

 

AUTO-HEMOTERAPIA, TÉCNICA DO DR. JORGE GONZALEZ  

 

Há, ainda, a auto-hemoterapia a partir do método criado pelo mexicano: "DR. JORGE GONZÁLEZ RAMIREZ (in memorian) Foi sem dúvida o cientista que mais avançou nos estudos da Auto-hemoterapia em todo o mundo. E a definiu ou numa única frase: A Auto-hemoterapia tem 98/99% de êxito. ...” http://www.hemoterapia.org/informacoes_e_debate/comentarios/ver_opiniao/dr-jorge-gonzalez-ramirez-(in-memorian)-foi-sem-duvida-o.asp 

 

O site da Associação Mexicana para o Diagnóstico e Tratamento das Doenças é  

https://inmusys.com/online/ 

Jorge González Ramírez 

Mexicano 1926-2008 

 

Desarrolla un método para transformar los antígenos en anti-anticuerpos. Trabajó con el Dr. Niels K. Jerne quien ganó Premio Nobel Medicina 1984, por sus teorías sobre la especificidad en el desarrollo y control del sistema inmune y el descubrimiento del principio de producción de los anticuerpos monoclonales. 

 

Determinó que era estrictamente lógico aprovechar la propia sangre del paciente para usar los auto-anticuerpos como verdaderos antígenos y así estimular a su Sistema Inmune para que produzca anticuerpos normales que bloqueen y destruyan a los autoanticuerpos. 

...".  

https://inmusys.com/online/dr-jorge-gonzalez-ramirez/ 

 

No site são ensinadas as doses de auto-hemoterapia em crianças (e até em lactantes).  

 

TAMPÃO SANGUÍNEO PERIDURAL  

 

Desmascarado em suas mentiras produzidas para "condenar" e "proibir" os médicos de usar a auto-hemoterapia - em flagrante ilegalidade e imoralidade - o Conselho Federal de Medicina (CFM) foi obrigado a publicar a nota abaixo. 

 

“Nota de esclarecimento  

 

Em face de falha na redação do artigo “Auto-hemoterapia não tem eficácia comprovada” no Jornal Medicina (XXII, 167, DEZ/2007, p.11), esclarecemos que o procedimento terapêutico denominado “tampão sanguíneo peridural” é cientificamente amparado por relevante literatura médica e remetemos o leitor ao texto que trata dessa matéria no Parecer CFM 12/07.”  

 

O texto citado acima está na página do editorial do jornal do Conselho Federal de Medicina (CFM) http://www.portalmedico.org.br/JORNAL/Jornais2008/Jan/pag5.html 

 

Veja ainda: "Tampão Sanguíneo Peridural: Um Método a Ser Absolvido", transcrito no endereço 

http://www.rnsites.com.br/tsperidural.pdf 

 

Alguns títulos da literatura universal sobre auto-hemoterapia  

 

em alemão:  

 

Praxis derEigenbluttherapieHarald Krebs Elsevier,Urban&FischerVerlag,2008 - 166 páginas 

https://books.google.com.br/books/about/Praxis_der_Eigenbluttherapie.html?hl=pt-BR&id=v9VCpONbKswC&redir_esc=y  

 

Em francês: Annales de Dermatologie et de Vénéréologie 

Volume 132, Issue 3, March 2005, Pages 225-229 

 

Mémoire original 

 

Autohémothérapie locale dans l’angiodermite nécrotique : étude piloteTopical haemotherapy as treatment for necrotic angiodermatitis: a pilot study 

Author links open overlay panel 

 

D.CourivaudM.SégardS.DarrasO.CarpentierP.Thomas 

 

https://www.sciencedirect.com/science/article/abs/pii/S0151963805792516 

 

e,  

 

Bulletin des sociétés d'ophtalmologie de France: Volume 73, Edição 3 Sociétéd'ophtalmologie de Paris – 1973 Bulletin des sociétés d'ophtalmologie de FranceCapa 

1973 

 

Autohémothérapie 

páginas correspondentes ao termo Autohémothérapie neste livro 

Página 841 

Página 841 

Página 842 

Página 842 

 

https://books.google.com.br/books?id=O4_oAAAAIAAJ&q=Autoh%C3%A9moth%C3%A9rapie&dq=Autoh%C3%A9  

 

Um texto em inglês (tradução eletrônica para o português): 

 

“Reference Manual - Definitive Guide and Historical Review From Bloodletting to Stemcells - A technical report by Stuart Hale Shakman”.  

 

O autor, PhD, é diretor executivo do Instituto de Ciências de Santa Mônica, USA."De sangramento a células-tronco  

 

Obserevação: O texto abaixo foi traduzido eletrônicamente  

 

[Sumário] 

 

Um relatório técnico de S. Hale Shakman 

 

Autohemoterapia como a melhor autovacina simples, segura e comprovada, e um conceito integrador mais essencial em um amplo contexto histórico que engloba sangramento, transplante de medula óssea, autoterapia, terapia com vacinas e medicina alternativa; revisão abrangente da história da terapia autóloga para câncer;trechos indexados da literatura histórica de auto-hemoterapia sobre uma variedade de tópicos e doenças. Ver mais: INSTITUTO DE CIÊNCIA  

 

www.instituteofscience.com 

 

PREFÁCIO DA SEGUNDA EDIÇÃO - 2016: ESTUDOS DE CASO  

“AUTOBLOOD - THE MAGIC SHOT”  

 

Stuart Hale Shakman - 25 de julho de 2016© 2016 SH Shakman  

 

Este volume foi publicado originalmente no formato 8 x 10 como o Manual de referência de auto-hemoterapia. Esta segunda edição está sendo reeditada no formato 6 x 9 polegadas como " Sangue automático: o tiro mágico" (título alternativo por exigência de editor). O conteúdo da publicação original está sendo totalmente retido, pois, de outra forma, não está disponível na Medline, etc. Lembramos:  

- a história da auto-hemoterapia em uma série de doenças (conforme documentado aqui); - sua tradição como “tratamento de último recurso” em casos sem esperança; - seu potencial de atendimento contra aids, ebola, dengue, zika, etc .; - seu uso lógico para sepse, que por definição envolve antígeno no sangue; - seu papel na imunoterapia contra uma metástase bloqueadora do carcinoma; - e seu potencial acéfalo como ferramenta a ser integrada nos primeiros socorros básicos. 

 

Além da re ênfase no valor contínuo desta publicação original, este “Prefácio à Segunda Edição” destaca notáveis desenvolvimentos recentes: 

 

(1) o crescimento da popularidade da auto-hemoterapia na América Latina; 

(2) alternativas modernas de auto-hemoterapia;(3) uso crescente de células-tronco do sangue e não da medula óssea; e(4) a associação contínua de métodos autólogos ao câncer; mais: --- Lembrando do "auto-hemoterapeuta" Sam Tasker (1907-1999) --- (1) Popularidade da auto-hemoterapia na América Latina. 

Pesquisando no Google por termos alternativos, o domínio de "autohemoterapia" vs "autohemoterapia" - aparentemente reflete o interesse particular em terapia por auto-sangue na América Latina, por exemplo, Brasil e México. Particularmente conhecido no Brasil é o trabalho “cruzado” do Dr. Luiz Moura, que pratica auto-hemoterapia desde a década de 1940, retirando o manto de seu pai, que também era médico.  

 

O Dr. Moura e associados têm se envolvido em controvérsia com autoridades governamentais e médicas, que tentaram proibir a prática. Os advogados se organizaram com a "Campanha Nacional de Defesa da Auto-Hemoterapia", que parece ter sido eficaz até o momento em manter a prática disponível. 

 

O Dr. Moura, em particular, tem sido muito ativo na promoção da conscientização da auto-hemoterapia através de uma série de youtube. vídeos com. Veja youtube.com. (2) “Disfarces” alternativos de auto-hemoterapia.  

Ao longo dos anos, muitas, se não a maioria, terapias que envolveram reinjeção extravascular de sangue ou soro autólogo aparentemente não foram geralmente categorizadas como "auto-hemoterapia". No entanto, aparentemente, os mesmos processos fisiológicos subjacentes ou associados estão aparentemente envolvidos. Alguns métodos modernos de destaque que receberam atenção popular: (a) injeção de sangue autólogo (total) (chamado ITB), sozinho ou com agulhamento seco (introdução de uma agulha fina), geralmente para tratar tendões lesionados; e (b) outros métodos que envolvem a centrifugação do sangue, que separa uma mistura concentrada de plasma, etc., que é injetada nos tecidos lesionados em várias condições: Plasma Autólogo de Condição (ACP) para tendões; Plasma rico em plaquetas (PRP) para tratar o cotovelo de tenista; Giro de sangue, usado por atletas profissionais em diversos esportes, como tênis, golfe, futebol, futebol. Mas, até o momento, não há indicação de que qualquer um desses métodos mais complexos seja preferível ao ABI. Pelo contrário, a ABI parece ser melhor ou os resultados são indiscutivelmente mistos ou inconclusivos. E a ABI é ... auto-hemoterapia! (3) Terapia com células-tronco do sangue e não da medula óssea. O campo da terapia com células-tronco já havia se destacado como a vanguarda da ciência médica nos primeiros anos do novo milênio (como visto nas tendências da Medline e do Google).  

 

Na última década, houve uma aceleração adicional da substituição do transplante de medula óssea (TMO) pelo transplante de células-tronco (TCM).  

 

O número de artigos da SCT listados no MEDLINE entre 2006 e 2016 é quase quatro vezes maior que o número de artigos da BMT (60.360 versus 15.812). Este é um desvio dramático das tendências históricas anteriores à década passada, quando os artigos sobre o BMT superaram os artigos de SCT de dois para um (63.632 a 32.158). Como observado no caso do linfoma não-Hodgkin, "as coleções de medula foram amplamente abandonadas em favor deste procedimento mais seguro e melhor [isto é," colheita de células-tronco do sangue periférico "]  

 

(www. Nhlcyberfamily.org/treatments/collection.htm ) .  

 

Assim, a terapia com células-tronco, que utiliza predominantemente células-tronco do sangue, tornou-se na maior parte uma forma de auto-hemoterapia (concentrada). (4) a associação contínua de métodos autólogos ao câncer.  

 

É impressionante que a grande maioria dos métodos de imunização autóloga no MEDLINE, ativos e passivos, respectivamente, estejam envolvidos com câncer. É claro que isso é um grande endosso ao uso de métodos autólogos (ou "personalizados") no tratamento do câncer. Ao mesmo tempo, a confusão sobre o significado de imunização "ativa" versus "passiva" continua, conforme discutido em detalhes no capítulo 7, "Considerações teóricas". Sir Almroth Wright argumentou que a "imunização passiva" era na verdade "imunização ativa", como evidenciado claramente pela observação de que, quando eficaz, a chamada "terapia sérica " envolvia a aplicação de doses crescentes de maneira semelhante à da "vacina - terapia". A isto, podemos acrescentar o sucesso em geral de métodos autólogos contra o câncer, porém eles podem ser rotulados. Se for autólogo, por definição, compreende uma vacina auto gerada contra o próprio câncer, fornecendo apoio adicional à afirmação de Wright de que a chamada "imunização passiva" é realmente uma forma de "imunização ativa", conforme discutido nos capítulos 1, 2. e 5.  

 

--- Lembrando do "auto-hemoterapeuta" Sam Tasker (1907-1999) --- 

 

Quando tentei encontrar um médico em Los Angeles no início dos anos 90, pude entrar em contato com um dermatologista, Sam Tasker MD. O Dr. Tasker vinha usando a auto-hemoterapia em sua clínica dermatológica há anos, embora em casos difíceis. Ele claramente o caracterizou como um "tratamento de último recurso" - se nada mais desse certo, ele tentaria auto-hemoterapia. Dr. Tasker usou um método que ele descreveu como "o método russo". Este era composto por 3 cm3 de sangue extraído recentemente, com uma pequena quantidade de ar residual na seringa, que foi agitada brevemente para misturar mais completamente o oxigênio e, em seguida, injetada quase imediatamente no músculo do braço / ombro . Ele não mudou a agulha no processo, usando a agulha do mesmo tamanho, 25 x 5/8, para retirada e reinjeção. Sua prática era repetir o tratamento quinzenalmente ou semanalmente. 

 

O Dr. Tasker encerrou sua prática nos anos 90 e está mais tempo conosco. Felizmente, o Dr. Tasker consentiu em uma longa entrevista antes de sua morte, disponível no YouTube, acessível através do instituteofscience.com ou youtube.com (sh shakman).  

https://www.youtube.com/watch?v=K29GXlFiOCs&feature=related  

https://www.youtube.com/watch?v=4cwjdL2-5ys 

 

ESTUDOS DE CASO DOENÇA DE CROHN 

SCLERODERMA  

CABINES COM DOENÇA DA PELE CONTACTOSA DO ECZEMA  

NO AKITA INU DOG 

 

http://instituteofscience.com/AutobloodPrefaceSecondEdition.htm  

 

Ver mais sobre outras estas e outras formas de tratamento de prevenção e cura da Codid-19 em  

 

IRRESPONSABILIDADE, DESPREZO PELA VIDA: GENOCÍDIO  

 

CONHEÇA TÉCNICAS QUE CURAM DOENÇAS CAUSADAS POR VÍRUS, BACTÉRIAS, FUNGOS  

E PARASITAS DESPREZADAS PELA MEDICINA EM PLENA PANDEMIA DA COVID-19  

 

* Ubervalter Coimbra  

 

A medicina ocidental praticada em todo o planeta mata milhões de pessoas, todos os anos e em todos os lugares, causando as doenças iatrogênicas (produzidas pelos médicos ou seus remédios). Só para se ter uma ideia, as doenças iatrogênicas matam 784 mil pessoas por ano, todo ano, só nos Estados Unidos da América (EUA). Ou seja: 7,8 milhões de pessoas mortas pela medicina convencional em 10 anos.(1) Por que isto acontece?  

 

E em países como o Brasil, sequer existem estatísticas confiáveis.  

... 

 

Texto publicado em 14 de maio de 2020 Ver seu inteiro conteúdo em  

 

http://hemoterapia.org/informacoes_e_debate/ver_opiniao/irresponsabilidade-desprezo-pela-vidagenocidio-conheaa.asp  

Ubervalter Coimbra
70 anos
- Vitória - ES

[ocultar participação]  [voltar]

Comentários


Quero comentar Total de 1 comentários  -  1 nesta página
[primeira < anterior   Página de 1     próxima >  [última]

Sexta-feira, 27 de novembro de 2020 - 20:53:51
 

Nenhum comentário ainda.

 

Webmaster



envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a lista que contém esta participação]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2020)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org