Auto-hemoterapia Informações e debates

            Quem somos

                 auto-hemoterapia o que é? |  informações & debate |  depoimentos |  publicações |  vídeos |  política de privacidade |  pesquisa virtual

ver participações do dia Visitantes: 3.642.665 (início em 30/10/2010)

"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas








Assine a petição
para a Liberação da
Auto-hemoterapia








"Conversa com o
Dr. Luiz Moura:
O que é
auto-hemoterapia?
"


Vídeo na íntegra.

Conversa com o Dr. Luiz Moura

Agora também
subdividido em
60 temas

Busca Saúde
Loading

 Cofen e auto-hemoterapia  Elevada mortalidade por

Auto-Hemoterapia - Informações e Debate - Participação
6144
Terça-feira, 26 de maio de 2020 - 16:27:14
177.69.131.7

Cofen e auto-hemoterapia  

 

Elevada mortalidade por Covid-19 na enfermagem exige do Cofen  liberação imediata da técnica 

 

Ubervalter Coimbra (*) 

 

Os enfermeiros do Brasil estão morrendo no cumprindo da missão de combater a Covid-19. Mesmo assim, são impedidos pelo Conselho Federal de Enfermagem (Cofen) de aumentar a sua própria imunidade em quatro vezes com o emprego da auto-hemoterapia para enfrentar a doença.    

 

Esta proibição foi determinada pelo Cofen  praticando o vergonhoso crime de plágio do parecer do Conselho Federal de Medicina (CFM), provadamente uma fraude científica. A medida coloca uma profissão de alta responsabilidade social, técnica e científica, que é a enfermagem, como um apêndice  da medicina. 

 

E quer dizer que a irresponsabilidade do Cofen chegou a ponto de copiar um parecer sem nenhuma base só para bajular os médicos. Enfermeiros já manifestaram repúdio a este servilhismo aos médicos por uma categoria com um grande número de acadêmicos, entre os quais doutores, mestres e especialistas, com pesquisas inclusive sobre a auto-hemoterapia. 

 

Sem contar que, desamparados pelos enfermeiros por uma proibição imoral e ilegal do Cofen, a população tem de ser valer como pode para usar a auto-hemoterapia. Não há proibição legal para a prática da auto-hemoterapia no Brasil, a não ser um castelo de imoralidade e agressão à lei - inclusive à Constituição Federal -  ditada tanto pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), como CFM. Proibições seguidas cegamente pelo Cofen e Conselho Federal de Farmácia (CFF). 

 

Há muitos enfermeiros que mesmo com os riscos de punição pelo Cofen, não deixam de atender a pedidos para aplicação de auto-hemoterapia. São os profissionais éticos, os que estudam e sabem que a auto-hemoterapia previne e cura doenças ao aumentar a imunidade por quatro vezes, por cinco dias. 

 

Como provou, o cientista e médico brasileiro dr. Jésse  Teixeira em "Complicações Pulmonares Pós-Operatórias", publicado originalmente na Revista Brasil-Cirúrgico Orgão oficial da Sociedade Médico-Cirúrgicado Hospital Geral da Santa Casa da Misericórdia do Rio de JaneiroMarço de 1940 – Volume II – No 3FONTE virtual:  http://www.rnsites.com.br/artigo_jesse_teixeira.pdf 

 

A enfermeira  Ida Zaslavsky conta sua experiencia com a técnica no livro Auto-hemoterapia um Bom Passo Maior Que a Perna. Defende a popularização da auto-hemoterapia, considerando a eficácia e segurança da tecnica. Outros tantos enfermeiros e enfermeira relatam na mídia social o emprego da auto-hemoterapia, inclusive para se defender da Covid-19. É o caso relatado em  

https://pt-br.facebook.com/groups/autohemoterapiatrataecura/permalink/2794113764040857/ 

 

Números estarrecedores 

 

Dados divulgados em reportagem pela Folha de S.Paulo em 21/maio/2020 apontam que no Brasil trabalham na enfermagem 2,3 milhões de profissionais, entre enfermeiros, técnicos e auxiliares. Entre estes, os profissionais da linha de frente no combate à Covid-19, doença que até meados deste mês matou 137 trabalhadores do setor (34% do total mundial), o que torna o Brasil lidera o ranking mundial.  

 

Existiam  até aquela data  4.100  enfermeiros  contaminados. A categoria é majoritariamente feminina. Os enfermeiros são a maior  força de trabalho na saúde. Veja a reportagem em  

https://www1.folha.uol.com.br/equilibrioesaude/2020/05/ninguem-olha-pelos-profissionais-da-enfermagem-diz-intensivista.shtml  

 

São profissionais estressados com baixa remuneração, excessiva carga de trabalho, sem equipamentos de proteção individual, que se colocam à frente do combate à Covid-19 em hospitais superlotados, e unidades de saúde completamente desprovidas do mínimo necessário para sua segurança. A estes profissionais foi roubado o direito de aumentarem a sua imunidade para enfrentar a doença em ocasiões como estas, de pandemia ou surtos epidêmicos de diversas doenças.  

 

Longa história 

 

A auto-hemoterapia começou a ser usada no século dezenove. No início do seculo XX (em 1913), o dr. François Ravaut usou a palavra auto-hemoterapia pela primeira vez para identificar a técnica. Ele usou a auto-hemoterapia entre outros,  em casos de asma, urticária e estados anafiláticos. 

 

Centenas de estudos se seguiram a esta publicação, todos confirmando a eficácia e segurança da técnica, usada em todo o mundo. Com a chegada de novos medicamentos, entre os quais os antibióticos, os laboratorios farmaceuticos orquestram campanha de difimação da técnica, e incutiu nas cetegorias profissionais de saude o desprezo pela tecnica. 

 

Ainda assim, mundo afora a técnica continou sendo praticada, mas por poucos profissionais. No Brasil, em 2004 o dr. Luiz Moura mudou a historia moderna da auto-hemoterapia, dando entrevista sobre o tema.  

 

Quando esta entrevista, um verdadeiro documentário, ganhou a internet, a técnica volta a ser conhecida no mundo inteiro por sua importância. E os laboratorios farmacêuticos transnacionais acionam  seus agentes no Brasil, e a Anvisa e CFM, e  depois o Cofen e CFF, proíbem a técnica. Trata-se de proibições arbitrárias, como se provou.  

 

Posições do Cofen  

 

O  Portal Cofen, resgistra a  posição do órgão em 1/4/2007: "O Conselho Federal de Enfermagem ( Cofen) não recomenda a prática do procedimento de auto-hemoterapia pelos profissionais de Enfermagem. Trata-se de um tratamento médico para o qual não há consenso técnico e científico e nem aprovação dos conselhos profissionais da área de saúde, em relação a possiveis benefícios". Este comunicado foi publicado no jornal Correio Braziliense, do Distrito Federal, em 31 de março de 2007. 

 

Ora, tal posição não impedia os enfermeiros que, por estudar, e irem a fundo em Ciências, de conhecer e aplicar a técnica, com o objetivo de cumprir seus deveres profissionais com seus pacientes.  

 

Pela Resolução 346/2009 o Cofen  muda  sua posição. "É proibida  prática da auto-hemoterapia por profissionais de enfermagem, em todo o território nacional", dita a Resolução. E ainda afirma que "a prática da auto-hemoterapia por parte dos profissionais caracteriza infração ética sujeita às sanções disciplinares, prevista na Resolução Cofen 311/2007). 

 

A proibição foi sustentada em uma fraude, cometida primeiro pelo CFM, e vergonhosamente plagiada pelo Cofen. O vergonho parecer do CFM à esta época já havia sindo exaustivamente provado anticientifico e menitoroso por grande número de estudiosos da auto-hemoterapia. 

 

O plágio 

 

Diz trecho da Resolução do Cofen: "... CONSIDERANDO as conclusões do Parecer Técnico da Câmara Técnica de Pesquisa de 20/02/2009 que esclarece `que nenhuma diretriz nacional ou internacional inclui a auto-hemoterapia como recurso terapêutico e, por conseguinte, não há estudos confiáveis e com força de evidência cientifica elevada que indique ser a auto-hemoterapia propriamente dita um procedimento efetivo e seguro´ ...". 

 

Para resolver: "É proibida a prática da auto-hemoterapia por profissionais de enfermagem, em todo o território nacional". E passa a ameçar quem usasse a auto-hemoterapia por "infração ética sujeita às sanções disciplinares ...". A resolução entrou em vigor em 27 de maio de 2009. 

 

E o parecer do CFM? Este  já havia sido provado uma fraude científica. Mesmo assim serviu de fonte para o Cofen deliberar sobre um tema tão importante.  

 

Diz o trecho do Parecer do CFM: "... Assim, não foi possivel obter estudos confiáveis e com força de evidência científica elevada que indiquem ser a auto-hemoterapia propriamente dita um procedimento efetivo e seguro.  ...".  

 

Em  http://www.cofen.gov.br/parecer-no-052016ctlncofen_45797.html  é registrado que "... REFERÊNCIA: PAD N° 0221/2016 

ASSUNTO: Legislação profissional. Exercício profissional. Posicionamento a respeito da prática de auto-hemoterapia. Parecer aponta para manutenção do posicionamento já exposto na Resolução Cofen nº 346/2009. No âmbito da hemoterapia, as atividades regulamentadas para o enfermeiro e demais profissionais de enfermagem estão dispostas na Resolução Cofen n° 0511/2016. ...". 

 

Os cientistas  

 

Entre os cientistas que estudam a auto-hemoterapia está a mestre em enfermagem e enfermeira Telma Geovanini. Seu trabalho foi publicado em revista indexada Referencia, com o título "Tratamento da Esclerodermia doença auto imune através da auto-hemoterapia: um estudo de caso clínicoTelma Geovanini,* Manoel Mozart Corrêa Norberto** 

*Mestre em Enfermagem, Professora da Faculdade de Enfermagem da UNIPAC – Universidade Presidente António Carlos de Juiz de Fora, Brasil. **Médico Especialista em Cirurgia Geral e Mastologia, Casa de saúde da Mulher do Leme, Brasil. 

Recebido para publicação em 08.09.08 

Aceite para publicação em 13.02.09". O estudo pode ser lido em  

http://www.index-f.com/referencia/2009/r9-5159.php 

 

O cientista e médico brasileiro, o professor doutor José de Felippe Júnior, em parecer ao Ministério Público Federal (MPF)  conclui que  "...Além de não se enquadrar em tratamento experimental aautohemoterapia devido a eficácia e segurança estádisponível para a população carente do nosso País, desdeque a abordagem convencional seja plenamente empregada enão tenha surtido o efeito desejado, pois, cabe ao médicoassistente minorar sofrimento e melhorar a qualidade devida de quem o procura e nele confia. O paciente éresponsabilidade do seu médico assistente". O inteiro teor do estudo produzido a pedido do MPF está em  

http://www.rnsites.com.br/autohemoterapia-mpf-es-compilado.pdf 

 

Este endereço contém ainda cópia do recurso à decisão do MPF, apresentado à instância superior feito por diversos cidadãos. No documento, são citados vários professores doutores que se manifestaram sobre auto-hemoterapia.  

 

Um deles, o dr. Francisco das Chagas Rodrigues, titulado pela USP e professor de psiquiatra no Rio Grande do Norte, fez umaavaliação completa do assunto e relata: “O que achei mais interessante é que existemmuitos pacientes em todo o Brasil que utilizam a técnica e que os Conselhos de cadaestado poderiam ter solicitado o testemunho dessas pessoas.”.  

 

E,  “... Ora, - observa - se épara a população que os Conselhos prestam serviço na fiscalização dos atos médicos,parece que a grande testemunha foi deixada de fora.”Dr. Rodrigues continua afirmando que “Outra observação que podemos fazer nessecaso é que a grande arma usada para atacar a técnica é que ela não é científica e que,se imagina, os pareceristas são cientistas cujo poder de discriminação, de investigação,de julgamento, está acima de qualquer tipo de preconceito, como defende a Ciência.”. 

 

E enfatiza: “Não é verdade, são pessoas humanas, cada uma com seus defeitos epreconceitos. Um deles é que a Medicina deve ser uma atividade científica. Não é!Todos os grandes médicos reconhecem que a essência da Medicina é a ARTE de curar,de cuidar.”  

 

No parecer ao MPF o dr. José de Felippe Júnior amparado em vasta jurisprudência já havia afirmado que os fatos apresentados já seriam suficientes para concluir que: "... Portanto, o CFM não tem o direitode editar tal norma. Pior, ao fazê-lo colidiu com os preceitos do Código Ético e procuracercear o livre exercício da profissão médica e o direito do paciente de receber aterapêutica proposta pelo médico assistente que é o verdadeiro responsável por ele.Procura cercear até a divulgação de trabalhos científicos que discutem assuntos sobreterapêutica que pode ser usada em casos bem específicos.". 

 

Estes não foram os únicos doutores e cientistas a se manifestar, como se pode ver no endereço citado acima. Já em  em 20/05/2007  o professor André Luis Soares da Fonseca se manifestava assim: "...Sou professor de Imunologia e Genética Médica na Universidade Federal de MatoGrosso do Sul e cada vez mais me espanta o pouco grau de inteligência (do latiminteligere" : ligar, fazer conexão) de alguns médicos deste país. ..." 

 

Para  acrescentar, entre muitas outras informações: "...É inacreditável como quando não se sabe nada, vai-se pelo que a maioria pensa oupelo que é mais conveniente. A autohemoterapia é uma panacéia sim, mas é umaterapia coadjuvante, que melhora o sistema imunológico, não porque aumenta a suacapacidade, mas porque MODULA a sua função, ou seja, quando a imunidade estáaumentada (hipersensibilidades, autoimunidades) ele DIMINUI a resposta; quandoestá baixa, ele AUMENTA a resposta em níveis compatíveis com o estado de saúde. ...". 

 

PhD USA POR 09 ANOS  

 

Um outro depoimento citado no recurso que prova a eficácia da auto-hemoterapia é da professoradoutora, Joselina do Nascimento Passos.  

 

A médica, infectologista, dá seu testemunhoda auto-hemoterapia em caso de esclerodermia. Ela conclui seu depoimento: "...Gostaria de transmitir a experiência positiva com a auto-hemoterapia. Tenho certezaque foi muito benéfica para minha vida. Atualmente moro em Lauro de Freitas, regiãometropolitana de Salvador. Espero que as pessoas que compartilharem deste relatopense que a vida é uma eterna escola e nunca devemos fugir da luta pensando que ohomem, ser racional, mais do que ninguém precisa lutar aplainando a diversidade davida para que a felicidade que todos sonhamos possa um dia florescer.Missão cumprida? Não sei, porém enquanto houver vida, lucidez, perspectiva futuradevemos continuar nesta batalha." 

 

Um detalhe:  a doutora Joselina do Nascimento Passos é casada com o também professor doutor Elias Moutinho dos Passos· Professor da USP de Ribeirão Preto SP· Professor titular de patologia da Universidade Estadual de Londrina. 

 

No recurso é citada "UMA VOZ QUE VEM DA HARVARD UNIVERSITY  O PhD Lair Ribeiro esta entre os cientistas que conhecem e falam sobre a autohemoterapia. Ele explica o estímulo do sistema imune com a técnica.Para ele, médico que não entende de sistema imune “não é médico”.  

 

Em aula para médicos, seus alunos de pós-graduação, indagou e ele mesmo respondeu: “Qual acélula mais importante? – Macrófago.”. E explicou a ativação dessa célula. Começoudando o exemplo: da auto-hemo (auto-hemoterapia), lembrando: “O Jesse Teixeiramostrou que a concentração de macrófagos vai de 5 para 22 por cento, com a autohemo. Você está fazendo a estimulação (do sistema imune)”.  

 

Disse enfaticamente: “eu acho que para ser médico, você tem que entender desistema imune; senão você não é médico”. Em seguida, disse que o sistema imune estáem todo lugar: “Ele está em seiscentos linfonodos, espalhados pelo corpo, tudodepende dele; as pessoas que têm câncer, não interessa a causa: o sistema imunefalhou. Se eu vou lá e fortaleço o sistema imune, combato o câncer!”.Lair Ribeiro explicou o funcionamento da imunidade do organismo, mostrando quequando a pessoa entra em contato com o patógeno, a imunidade inata entra em açãoimediatamente. Para ele, a imunidade inata tem que estar muito forte, porque seestiver forte não vai precisar lançar mão da imunidade adquirida. Nesse sentido, elediscorreu sobre a importância do macrófago, explicando detalhadamente o seufuncionamento.O vídeo: https://www.youtube.com/watch?v=YLYxL6F2Hho&feature=youtu.be    

 

Os obtusos 

 

O MPF fez ouvidos moucos para o recurso e o parecer do dr. José de Felippe Junior. Deixou, desta forma de cumprir suas obrigações constitucionais, que exigia o enquadramento na lei da Anvisa e dos Conselhos de Saúde (CFM, Cofen e CFF).  

 

Além do MPF, outro obtuso no caso da auto-hemoterapia é o Cofen. Cabe perguntar por que, provado os crimes praticados pela Anvisa e pelo  CFM ao editar suas as proibições da auto-hemoterapia, o Cofen não mudou sua posição. 

 

Mais do que isso é preciso saber o porque da manutenção da proibição do enfermeiro praticar uma técnica de sua competencia em plena  pandemia da Covid-19.  

 

E, estarrecedor: Por que o Cofen não acorda para o elevado número de enfermeiros contaminados e mortos pela doença? Quantos profissionais poderiam ter suas vidas poupadas, ou o tempo para cura abreviado, se os enfermeiros usassem uma técnica que aumenta a imunidade em quatro vezes? 

 

A proibição de aplicar a auto-hemoterapia pelos enfermeiros também atinge os fisioterapeutas e médicos, que igualmente estão na linha de frente do combate à Covid-19, entre os quais há mortos. E deixa desamparado os brasileiros, que tem de se socorrer como podem para usar a auto-hemoterapia para aumentar a sua imunidade. Já somam centenas de casos de cura da Covid-19 com a aplicação da auto-hemoterapia. Como é possível ver  em 

https://pt-br.facebook.com/groups/autohemoterapiatrataecura/  

 

Sobre a arbitrariedade do governo Federal (Anvisa)  ver "Considerações acerca da revisão da Nota Técnicada Anvisa sobre Auto-hemoterapia", do jornalista Walter Medeiros em http://www.rnsites.com.br/auto-hemoterapia-e-anvisa.pdf   

Walter Medeiros denuncia que "...  

 

SÍNTESE  

 

Brasileiros são vítimas do autoritarismo da Anvisa e de pareceres fajutos dosconselhos de medicina, enfermagem e farmácia  

 

Anvisa não comprova o que diz sobre Auto-Hemoterapia  

 

Uma mostra de como a Anvisa devia ter avaliado melhor a sua decisão" para assinalar que a Anvisa aplica "... Ética avessada - Se não pode usar a auto-hemoterapia nos hospitais e demaisunidades de saúde, tudo que resta ao cidadão fazer é esperar a morte.".  

 

Leia mais:  

 

IRRESPONSABILIDADE, DESPREZO PELA VIDA:  GENOCÍDIO  CONHEÇA  TÉCNICAS  QUE  CURAM  DOENÇAS CAUSADAS POR VÍRUS, BACTÉRIAS,  FUNGOS  E  PARASITAS  DESPREZADAS  PELA   MEDICINA  EM  PLENA  PANDEMIA  DA COVID-19  

http://www.hemoterapia.org/informacoes_e_debate/ver_opiniao/irresponsabilidade-desprezo-pela-vidagenocidio-conheaa.asp  

 

(*) O autor é jornalista. 

  

  

Ubervalter Coimbra
69 anos
- Vitória - ES

[ocultar participação]  [voltar]

Comentários


Quero comentar Total de 1 comentários  -  1 nesta página
[primeira < anterior   Página de 1     próxima >  [última]

 Quarta-feira, 27 de maio de 2020 - 17:43:24 
177.157.211.41

Gostaria de acrescentar ao texto as seguintes observações: 

 

a) O vídeo com o título "Dr. Lair Ribeiro falando sobre Auto-Hemoterapia o que ativa no corpo e Sistema Imune" pode ser visto  ... (total de 4631 caracteres)

Ubervalter Coimbra
69 anos
- Vitória - ES



envie este texto a seus amigos

Busca Saúde
Pesquisa personalizada








Atenção: NÃO USE informações aqui divulgadas para substituir uma consulta médica. Seja prudente, consulte um médico, quando entender necessário, para o correto diagnóstico e eventual tratamento".

[ir para a lista que contém esta participação]
 
  AHT HEMOTERAPIA: Informações & Debate, Depoimentos, Publicações e Vídeos (2007 - 2020)
Fique livre para divulguar informações aqui disponibilizadas.
Agradecemos a citação da fonte.
webmaster@hemoterapia.org